"A história da agência começa a muitos anos atras, uma vida inteira sonhando com isso e precisou uma parábola contada no último ano para a CriarMKT nascer"...

coração.png

Sou publicitário de alma, de criação, de sonho.

 

Quando eu era criança, todo mundo dizia "quero ser astronauta quando crescer", eu queria ser publicitário, e a minha vida toda eu corri atras disso.

 

Estagiei em gráficas, para aprender sobre impressão e papéis, trabalhei em foto center para aprender a editorar, gravar, fotografar, fui trabalhar na agência do Pedro Luiz Ozelim em Paraíso onde eu aprendi Path tool do Photoshop, diagramação no InDesign que na época era o PageMaker, que baterias podem podem usar pele hidráulica com o Bruno Landi entre outras coisas que existia a Meio e Mensagem e não só o programa Intervalo, que eu assistia religiosamente todo sábado na TVE para devorar o que os outros redatores, diagramadores, estrategistas construíam.

 

Eu estudei comunicação com o Carlos Roberto Vaz Velota com a Mônica Vasconcelos, com a Sônia Avallone, especialização, curso, livros, eu fiz estágio em agência, Ajudei a montar uma agência modelo, trabalhei dias e noites em departamentos de Marketing, fui gerente, diretor, fui anunciante, fui inHouse, fui gestor de equipes e trabalhei sozinho, viajei em função disso, viajei por isso, fui vendedor, fui Hunter e precisei depois de anos, ouvir uma parábola para criar coragem e dar o próximo passo.

Parábola da vaquinha e o precipício

a-vaca-no-precipicio-341276-1.jpg

Um mestre passeava por uma floresta com seu fiel discípulo, quando avistou ao longe um sítio de aparência pobre e resolveu fazer-lhe uma breve visita.

 

Durante o percurso, ele falou ao aprendiz sobre a importância das visitas e as oportunidades de aprendizado que temos, também, com as pessoas que mal conhecemos.

 

Chegando ao sítio, constatou a pobreza do lugar, sem calçamento, casa de madeira, os moradores – um casal e três filhos – vestidos com roupas rasgadas e sujas. Então, aproximou-se do senhor e perguntou-lhe:

– Neste lugar, não há sinais de pontos de comércio e de trabalho. Como a sua família sobrevive aqui?

 

O senhor respondeu:

– Nós temos uma vaquinha que nos dá vários litros de leite. Uma parte do produto nós vendemos ou trocamos na cidade vizinha por comida e a outra produzimos queijo e coalhada para o nosso consumo, e assim vamos sobrevivendo. O sábio agradeceu, se despediu e foi embora.

No meio do caminho, voltou ao seu discípulo e ordenou-lhe:

– Aprendiz, pegue a vaquinha, leve-a ao precipício ali na frente e jogue-a.

O jovem arregalou os olhos e questionou o mestre sobre o fato de a vaquinha ser o único meio de sobrevivência daquela família; mas, como percebeu o silêncio do seu mestre, cumpriu a ordem: empurrou a vaquinha morro abaixo e a viu morrer.

Anos depois, ele resolveu largar tudo e voltar àquele lugar, pedir perdão e ajudar a família. Quando se aproximou, do local avistou um sítio bonito, com árvores floridas, carro na garagem e crianças brincando no jardim. Ficou desesperado, imaginando que a família tivera de vender o sítio para sobreviver. Chegando lá, foi recebido por um caseiro simpático, a quem perguntou sobre as pessoas que ali moravam.

Ele respondeu:

– Continuam aqui.

Espantado, entrou correndo casa adentro e viu que era mesmo a família que visitara antes com o mestre. Elogiou o local e perguntou ao senhor (o dono da vaquinha):

– Como o senhor melhorou o lugar e agora está bem?

O senhor, entusiasmado, respondeu: – Nós tínhamos uma vaquinha que caiu no precipício e morreu. Daí em diante, tivemos de fazer outras coisas e desenvolver habilidades que nem sabíamos que tínhamos e, assim, alcançamos o sucesso que seus olhos vislumbram agora.

Moral da História:

Muitas vezes, temos medo de deixar o conforto da "Casa da Mamãe"Medo de lavar a própria roupa e correr traz do nossos sonhos.

Muitas vezes trabalhamos em empresas que não acreditamos, fazemos coisas que não nos enchem de vontade de acordar de manhã, com tesão pela vida.

 

A vaquinha as vezes te segura de:

 

  • Mudar de emprego;

  • Abrir seu negócio;

  • Ampliar sua empresa;

  • Vender mais;

  • Ser mais feliz;

 

Empurre a Vaquinha e se precisar de ajuda depois, mande uma mensagem para gente. Vamos conversar e montar a próxima estratégia para fazer sua marca decolar.

Contate-nos

Obrigado pelo envio!

Brown e branco da vaca

Créditos:

Ilustração: Talita Araújo

Texto inicial: Daniel Medeiros

Texto da Vaca: Imaginário Popular.